top of page

Análise Poética: "Antes de Tudo" de Jamila Mafra


"Antes de Tudo" é uma jornada emotiva que reflete sobre a brevidade da vida e a necessidade de aproveitá-la ao máximo. Ao abordar a possibilidade de uma catástrofe iminente, há uma poderosa dualidade entre a beleza do mundo e a ameaça de destruição. Essa dicotomia serve como um lembrete poderoso da fugacidade da existência e da importância de vivê-la plenamente.

 

A ênfase na apreciação dos pequenos prazeres da vida, como nadar, ouvir os pássaros e até mesmo os sons irritantes dos vizinhos, destaca a busca pela felicidade em meio aos momentos cotidianos. A mensagem de agir para ajudar os outros, independentemente de quem sejam, ressoa como um chamado para a compaixão e a empatia, enquanto a aceitação dos erros e a coragem de tentar novamente reforçam a ideia de viver sem arrependimentos.

 

No cerne do poema está a aspiração de olhar para trás sem remorsos, sabendo que cada risada, cada gesto de bondade e cada tentativa são pilares fundamentais para uma vida vivida com plenitude, mesmo diante das incertezas que o futuro possa trazer. É uma reflexão cativante sobre a essência da existência humana e a busca pela realização pessoal, mesmo em face da eventualidade do desconhecido.

 

O poema é um chamado para viver plenamente, valorizando cada momento e cultivando uma atitude de gratidão, mesmo diante das adversidades. É um lembrete poderoso para não deixar escapar a beleza e a oportunidade de viver, especialmente quando o mundo ainda é repleto de encanto, antes de tudo ser potencialmente destruído.

 

Se em um futuro não tão longe 

De repente começar 

uma guerra nuclear 

e tudo se acabar

Eu quero olhar pra trás 

e não ter me arrependido 

de não ter vivido 

e de não ter aproveitado

enquanto o mundo 

ainda era lindo

antes de tudo destruído. 

 

Agora 

eu vou nadar no mar 

e na piscina até cansar 

eu vou curtir cada sorriso 

e o barulho dos passarinhos

e até o som alto dos vizinhos

com o qual as vezes me irrito 

mas dá sinal que estamos vivos. 

 

Em todo minuto que eu posso 

vou livrar alguém da miséria

e não me importa o que fez 

nem que era. 

 

e em cada segundo que eu posso 

vou sentir cada risada 

mesmo que a dor esteja aqui 

nada irá me impedir 

dos risos e uma gota de alegria sentir. 

 

e se o que eu faço

estiver errado 

ou vier o fracasso 

vou me sentir bem de um jeito ou de outro 

pela possibilidade de poder tentar de novo.

 

E se o que alguém está fazendo 

estiver errado 

eu quero acreditar

que pode ser consertado. 

 

Se quem eu tento amei 

não está mais do meu lado 

Eu quero amar quem estiver 

e não exigir o passado. 

 

O que não quero é olhar pra trás 

depois de tudo destruído 

e ter me arrependido

de não ter vivido 

enquanto o mundo ainda era lindo. 

Constantemente estou vendo e ouvindo

que a guerra faz isso. 

 

E quando a dor vier 

e me fazer chorar 

aquilo que é ruim

Eu também vou sorrir. 

 

E isso porque 

Eu quero olhar pra trás 

e não ter me arrependido 

de não ter vivido 

e de não ter aproveitado

enquanto o mundo 

ainda era lindo

antes de tudo destruído. 


Mafra Editions

 

3 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page